Sua pequena menina
sua frase aqui
home ask about irmã
Larissa Oliveira, 17, canceriana, dreamer.
+
All Themes OMDG ©
“Aí você aprende que cada um oferece o que tem. E você para de revidar, de se preocupar, de se abalar com julgamento de quem vive de mal com a vida. Você percebe que atrai o que transmite, e passa a usar seu tempo só com quem te faz bem. E aí, fica em paz.”
— Karla Tabalipa (via fragmentando-me)
“Só continue sendo forte. Não se preocupe, essa angustia que você está sentindo vai passar, a saudade vai acabar. Eu sei que agora parece que o mundo conspira contra você, mas ele gira e em um giro desses tudo pode mudar. Então não desiste, sorria. Você é mais forte do que pensa e será mais feliz do que imagina. O medo, a decepção, a tristeza, a raiva são só sentimentos, são só momentos e momentos chegam ao fim. Isso chegará também. Não tem como encontrar a felicidade sem ter passado pela tristeza. Pense nisso, não é hora de se deixar abalar.”
Tati Bernardi.  (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)
“Eu tentei. Do meu jeito, mas tentei. As vezes só se precisa conversar, e as pessoas não parecem entender isso. Quem realmente quer, age de maneira diferente.”
Esteban (via caligrafo)
“Meu grande erro foi ter olhado nos teus olhos e visto coisas que não estavam lá. Vi o grande amor, mas nem amizade havia. Vi a felicidade, mas só a tristeza ficou. Tentar adivinhar os sentimentos dos outros é bobagem, às vezes nem as palavras dão garantia que o amor vai durar.”
Caio Augusto Leite.   (via maleficando)
“Pode parecer confuso mas é um alento. Olhe para o lado: estamos vivendo numa era em que pessoas matam em briga de trânsito, matam por um boné, matam para se divertir. Além disso, as pessoas estão sem dinheiro. Quem tem emprego, segura. Quem não tem, procura. Os que possuem um amor desconfiam até da própria sombra, já que há muita oferta de sexo no mercado. E a gente corre pra caramba, é escravo do relógio, não consegue mais ficar deitado numa rede, lendo um livro, ouvindo música. Há tanta coisa pra fazer que resta pouco tempo pra sentir.”
— Martha Medeiros  (via sexlesy)